Ano X nº 146 -

Últimas Notícias

Artigos/Crônicas

Bastidores

Cash

Corpo&Cuca

Editorial

Empresas

Lazer&Cia

Mural/Cartas

Na Rede

Pesquisa&Tecnologia

Profissão

Saúde

Saúde Bucal

3º Setor

Utilidade Pública

SERVIÇOS

Anuncie

Expediente

Fale com o JSO

Arquivo JSO

Legislação

Estatística

LINKS ÚTEIS

Agenda grátis

Clima/Tempo

Concursos

Cotações/Moedas

Horóscopo

Portal da Câmara

Portal do Consumidor

Viagens


Conversor digital custará R$120

De acordo com informações da Casa Civil, o governo está se esforçando para que o aparelho tenha um custo mais barato.

O Ministério da Casa Civil anunciou um plano para fazer o preço dos conversores para TV digital cair para patamares entre R$ 100 e R$ 120. Segundo a assessoria de comunicação do Ministério, os fabricantes Broadcom, Intel, NXP e Encore participaram do diálogo com o governo para produzir versões populares dos conversores que possam chegar ao mercado por R$ 100 ou R$ 120 já no início do ano que vem.

Estas versões já contariam com o middleware Ginga, aplicativo usado para funções de interatividade entre o espectador e a emissora de TV. O governo faz esforço para popularizar a TV digital no país. Entre as medidas de promoção da tecnologia está uma portaria que obriga TVs de tela plana produzidas com 32 ou mais polegadas a sair de fábrica com conversor embutido. A regra deve valer a partir de janeiro de 2010.

Apesar dos esforços, no entanto, a meta de oferecer conversores por R$ 100, várias vezes citada pelo ministro das Comunicações Hélio Costa, não está sequer perto de ser cumprida. No varejo, os modelos mais simples são encontrados por cerca de R$ 300.

O Ministério da Casa Civil usa como argumento para pressionar os fabricantes nacionais de conversores a possibilidade de importar estes dispositivos de países vizinhos. Uma das possibilidades é comprar os set-topbox do Chile, país que aderiu ao padrão nipo-brasileiro de TV digital e, segundo a Casa Civil, pode fornecer estes equipamentos ao Brasil por preços competitivos.

O baixo preço, no entanto, deve impor algumas restrições ao conversor, como a não capacidade de processar imagens em alta definição (1080i). Os conversores mais baratos teriam resolução standard, que é superior à qualidade da TV analógica, porém abaixo da resolução HD oferecida pelas TVs abertas.

Além do Chile, Venezuela, Paraguai e Argentina anunciaram adesão ao padrão usado no Brasil. Para promover o padrão escolhido pelo Brasil, o BNDES anunciou uma linha de crédito no valor de R$ 1 bilhão para empresas dos países que adotarem a tecnologia nipo-brasileira comprarem equipamentos e desenvolver aplicações para TV digital.

Com a adesão de vários países da América do Sul a um mesmo padrão, será possível fomentar um mercado regional de equipamentos e conteúdo para TV digital, espera o governo. Os fabricantes citados pela Casa Civil não se manifestaram sobre a possibilidade de produzir conversores por preços de até R$ 120.

 

Fonte: Info

 

Veja mais notícias de NA REDE

 

Ed146_23/10/2009



 


Copyright © 1999 Edita Comunicação.Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado,
transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização por escrito