Corte de verbas destroça a pesquisa brasileira Copy Copy

por | ago 11, 2018 | Artigos | 0 Comentários

Um país que patina para se manter de pé… Nosso país está agonizando… Óbvio que é necessário retirar recursos de algum lugar para que se pague uma conta que não estava prevista e que foi assumida como dívida por incautos seres que se denominam políticos.

E assim a pesquisa corre o sério risco de ser vilipendiada mais uma vez…

O corte federal de verbas, ainda não efetivado, mas ventilado, pode causar prejuízos seríssimos ao desenvolvimento do Brasil, deixando inúmeros estudantes sem bolsa e institutos de pesquisa sem recursos para concluírem projetos e alavancarem conhecimento.

E os salários dos políticos? E as mordomias infindas dos cargos que ocupam? Onde estão os cortes que deveriam ser feitos prejudicando em absolutamente nada a sociedade como um todo?

Por que a escolha de corte de recursos é sempre infeliz, como esta ventilada na semana passada?

Estes mesmos políticos que brigam por salários absurdos e mordomias assombrosas têm sido beneficiados pelo resultado de inúmeras pesquisas brasileiras sobre problemas que a nossa realidade geográfica, climática, cultural e etc. imprimem.

Vencer a pólio, praticamente erradicar a hanseníase (que tem retornado assustadoramente), construir políticas públicas, enfim, tudo é permeado pela pesquisa que se faz em solo nacional, baseada nas melhores evidências alcançadas mundialmente.

Para as doenças tropicais, nada melhor do que as pesquisas de um país tropical! Sabem onde os pesquisadores de países desenvolvidos buscam evidências para as doenças tropicais? Sabem quem é um dos maiores produtores de conhecimento odontológico no mundo (sempre entre os primeiros lugares)?

Pois saibam: é o Brasil! Sim, este nosso país tão belo é um produtor respeitado por grandes conquistas em conhecimento, que embasam tomadas de decisão no mundo todo.

E esta história de respeito e conquista internacional corre o risco de ficar à deriva…

Juntemo-nos à máxima: recurso de pesquisa não é gasto, mas investimento, com retorno a curto, médio e longo prazos. Precisamos defender nosso investimento!

Mary Caroline Skelton Macedo

Mary Caroline Skelton Macedo

MMestre e Doutora em Endodontia pela FOUSP

Pós-Doutora em Teleodontologia pela FMUSP

Coordenadora do Complexo Edmir Matson (Centro de produção Digital FOUSP e Núcleo de Telessaúde/Teleodontologia FOUSP)

E-mail marycskelton@gmail.com