O Livro Nonô Farol Baixo, Rio Acima Rio Abaixo, foi escolhido para o 1º lugar do projeto Cultural no quesito Literatura relativo aos 300 anos de Cuiabá. A obra será lançada nesta segunda-feira na Capital.

O autor é o cirurgião-dentista Jander Ruela Pereira (foto), especialista em Prótese Dentária e Implantologia, dirigente classista (já foi vice-presidente da ABO Nacional e presidente da ABO-Mato Grosso) e articulista do Jornal Odonto. Foi coordenador do livro comemorativo 100 Anos da ABO.

Jander conta que escrever o Nonô Farol Baixo materializa um sonho em poder contribuir para a disseminação cultural da gente mato-grossense e principalmente a cultura cuiabana com seus hábitos, linguajar e costumes peculiares. “Um presente acalentado para os 300 anos de Cuiabá”, afirma.

“Publicando um livro, fica registrada minha singela contribuição, com amplo alcance. Penso contribuir desta forma para que mais pessoas se contaminem com o hábito salutar da leitura agregando cultura e conhecimento”, afirma Jander.

Quem é Nonô Farol Baixo ?

Ele conta no livro que “o personagem Nonô Farol Baixo está descrito no contexto de uma visão surrealista da Baixada Cuiabana, narrando fatos do cotidiano, vivendo nosso momento contemporâneo cultural, lógico em dimensões absurdas e caóticas, alheio aos problemas sociais, econômicos e comportamento humano, onde qualquer coincidência com a realidade é fruto de um puro raciocínio surreal dentro de um realismo mágico”.

“Relaciona, também, o modo de vida da nossa gente, onde o personagem alheio ao social está totalmente integrado ao meio onde ocorrem os fatos, interagindo com personalidades cuiabanas que marcaram seus nomes nesses 300 anos”, relata Jander.

O personagem, relata, é uma presença real, porém portador de sentimento e contradição, vício e virtude, um ser com dimensão irreal, imerso ante o desconhecido e o que ocorre no cotidiano, inerte como um ser embora um amante terno, generoso e carinhoso, pai, irmão e amigo de personalidade abrangente.

Nonô é também- segundo o autor, portador de uma realidade virtual dentro de um mundo real que chega para somar aos tipos cuiabanos e representa o mais receptivo e hospitaleiro inserido na alma da nossa gente. “Marcante, personifica a gente simples dessa terra de sol dardejante”, antecipa para seus futuros leitores.