Embora associada tipicamente à prevenção do câncer do colo do útero, pesquisadores da Howard University fizeram pesquisa utilizando o twitter para obter um panorama do conhecimento do público sobre o assunto. O resultado foi que houve mais casos de câncer oral associados ao HPV do que ao câncer do colo do útero.  A conclusão é que o elo entre câncer oral e o HPV seja bem mais conhecido pelos profissionais de saúde, mas não pela população. Há uma lacuna entre o conhecimento profissional e o público, afirma o coautor do trabalho Jae Eun Chung, da universidade.

A pesquisa coletou 3.229 tweets exclusivos ao longo de 40 semanas usando termos de pesquisa como “HPV ou papiloma” e “boca ou oral ou garganta ou faringe ou orofaringe”. Depois usaram um programa chamado Vivo 12.0 para conduzir a uma análise de conteúdo que aparecia comummente em certas frases, termos e temas.

Mais da metade (54%; 1679 no total) dos tweets tinham informações sobre prevenção, enquanto 29% (910) eram sobre as causas do câncer. Muito menos tweets foram sobre o tratamento (5%; 141), diagnóstico (3%; 97), sintomas (1%; 42) e prognóstico (1%; 25).

“Houve uma forte ênfase no risco de HPV associado ao câncer oral entre os homens, o que é diferente do que vemos com a vacinação contra o HPV entre as mulheres!”, comentou Chung.

Os pesquisadores concluem que essas descobertas fornecem algumas dicas sobre o que o público sabe sobre o câncer oral associado ao HPV. Mais educação e campanhas são necessárias, e os residentes dos EUA podem beneficiar-se de um envolvimento mais ativo da educação em saúde.

Fonte: Oral Cancer Foundation / www.oncnursingnews.com
Artigo original OCT:  “Twitter lends insight to HPV-associated oral cancer knowledge”