O piso salarial é filosoficamente uma trincheira contra a miséria e o mínimo de dignidade para o exercício de uma profissão.

Isso posto tenho a dizer:

A realidade sabe mais que a imaginação, por conta disso defendo para a Odontologia e Medicina a apresentação de um novo projeto lei que reforme a lei do piso em vigor (Lei 3999/61) e retire dela a inconstitucionalidade da vinculação ao salário mínimo.

Os novos valores nominais devem ser analisados sobre os parâmetros do valor nominal do salário mínimo do DIESE.

Se as duas categorias não tomarem essa providência, o mais rápido possível, sem duvidas serão aviltadas pela força do mercado e da extrema quantidade de formandos/ano que já existe e produzirá a mais alta e avassaladora saturação do mercado de trabalho, com o desequilíbrio fatal da lei da oferta e procura que sem dúvidas colocará a imensa maioria dos que exercem as duas profissões citadas na maior e pior situação econômica da sua história.

Proponho a união das entidades médicas e odontológicas no que nos afeta para a solução de um problema que se aproxima e que, com certeza, nos alcançará.

Clamo pela razão e que nos dispamos do orgulho para enxergar a realidade que está posta.

Somente juntos os Médicos e os Dentistas poderão criar a “Vacina contra a miséria das duas profissões“ que está prevista para acontecer.

Não vê quem não quer.

Os números e legislações vigentes para o ensino superior e a abertura de cursos de graduação não me deixam enganar sobre o que ora exponho.