O implantodontista Gustavo Issas revela a importância de se consultar um cirurgião-dentista antes de procedimentos cirúrgicos para evitar problemas como doenças cardíacas, derrames, diabetes e nascimento de bebês prematuros.

“Sempre escutamos que a saúde começa pela boca e da importância de cuidar da higiene bucal. Bactérias bucais causam doenças cardíacas (endocardite que pode lavar o paciente a morte) derrame cerebral, câncer, doenças respiratórias, diabetes, nascimentos de bebes prematuros. Então porque dificilmente ouvimos em uma consulta médica que é preciso tratar dos dentes? Qual foi a última vez que o seu médico recomendou que você procurasse um dentista?”

Ele destaca, ainda, que seria uma questão de saúde pública o trabalho conjunto entre médicos de diversas especialidades e dentistas: “O corpo humano é uma maquina complexa onde tudo, absolutamente tudo está interligado. E assim deveriam ser os profissionais da saúde, trabalhando em conjunto. Por exemplo, problemas na coluna trazem desordens mastigatórias e vice-versa, o que já é conhecido. Mas apesar disso, nunca vi um ortopedista ou fisioterapeuta indicar seus pacientes a procurar um dentista. Quando foi a última vez que outro profissional de saúde encaminhou o paciente ao dentista? No entanto, nós dentistas indicamos usualmente que nossos pacientes consultem cardiologistas, fonoaudiólogos, ortopedistas, quiropraxia e outros”, relata.

Saúde pública – Segundo Issas, antes de realizar qualquer procedimento cirúrgico, o ideal seria consultar um dentista para avaliar a saúde bucal. “O Dr. Ivo Pitanguy dizia que antes de fazer uma plástica no rosto o paciente deve procurar um dentista, e eu concordo com ele. Quantas pessoas você conhece que foram ao dentista por recomendação medica? Muitas vidas, muito sofrimento e muito dinheiro poderiam ser preservados com uma simples união destes profissionais, o que seria tão valioso no âmbito da saúde pública para a humanidade”, afirma.

Integração – Ele defende maior integração entre Medicina geral e Odontologia. “Hoje a classe odontológica luta para que haja um dentista nas unidades de terapia intensiva, mas isso teria efeito somente emergencial e não preventivo. Assim, uma visita ao dentista antes de uma cirurgia, em minha opinião, seria o mais indicado”.

Como recomendação, o Dr. Gustavo conta que seria ideal que os pacientes também se envolvam em ter essa consciência. “Questione o seu médicos e o seu dentista sobre isso, para incentivá-los a elevar o nível dos tratamentos multidisciplinares, o que representa um ganho para todos”.

Depressão – “No caso de depressão, psiquiatras e psicólogos deveriam também indicar o dentista para avaliação de higiene e bruxismo. Estudos já apontam que em alguns casos, existe correlação entre a saúde bucal e a depressão, e isso praticamente nunca é dito. Precisamos entender que a saúde bucal em dia é fundamental para um corpo e uma mente saudáveis”.