A Bristol-Myers Squibb (BMS) realizou pesquisa com grupo de pacientes com câncer de cabeça e pescoço. Os resultados foram anunciados pela The Swallows e a Mouth Cancer Foundation. A pesquisa explorou a carga de longo prazo do tratamento do grupo de pacientes, que pode incluir cirurgia, quimioterapia ou radioterapia.

Muitos pacientes relatam um impacto contínuo em sua vida quotidiana, no entanto, 55% dos 118 pacientes pesquisados indicaram que não receberam o nível certo de informações de preparação para as complicações resultantes do tratamento.

Há cerca de 11.900 novos casos de câncer da cabeça e pescoço no Reino Unido a cada ano e a incidência da doença aumentou em 32% desde o início dos anos 90.

Problemas – Após o tratamento, a pesquisa mostrou que 56% dos pacientes tiveram problemas com coisas simples, como engolir, e muitas vezes experimentaram dor severa, enquanto dois terços deles experimentaram alterações na voz ou na fala. A pesquisa também mostrou mudança auto-referida do pré ao pós-tratamento em áreas vitais, incluindo uma perda da capacidade de comunicação (37%), perda de memória (21%) e dificuldade para dormir (20%).

Saúde mental – Além dos sintomas físicos, o tratamento também pode ter graves implicações na saúde mental: 52% dos pacientes relataram sentimentos de ansiedade antes do tratamento, que só foram reduzidos para 48% após o tratamento. No entanto, apoio emocional e psicológico foi oferecido apenas a 46% deles.

A maioria dos pacientes recebeu acesso a um especialista clínico em enfermagem, no entanto, ainda havia 23% a quem não foi oferecido este serviço. Especialistas em enfermagem clínica usam as suas capacidades e conhecimentos em tratamento oncológico para fornecer apoio físico e emocional, coordenar os serviços de atendimento, informação e aconselhamento aos pacientes sobre questões clínicas e práticas, que demonstraram levar a resultados mais positivos para os pacientes.

“Esses resultados mostram o impacto que o tratamento pode ter em pacientes com cancro da cabeça e pescoço”.

“Os contínuos problemas e sintomas experimentados pelos pacientes após o tratamento afetam significativamente a vida diária dos pacientes. Também sabemos que a desfiguração física pode aumentar a ansiedade social. É importante que conscientizemos isso e trabalhemos juntos para fornecer soluções para melhorar e apoiar os resultados dos pacientes ”,considera o Dr. Mahesh Kumar, Embaixador Clínico da Mouth Cancer Foundation.

“Com a incidência de cancro da cabeça e pescoço a aumentar, é vital que entendamos o que podemos fazer para ajudar os pacientes. Estamos muito satisfeitos por ter trabalhado em colaboração com a BMS e a Mouth Cancer Foundation para ajudar a aumentar a conscientização sobre essa doença e entender onde os pacientes podem precisar de mais ajuda para reduzir o impacto em suas vidas. Sabemos que os cancros da cabeça e pescoço, e as complicações associadas, não recebem muita atenção, por isso é crucial que os dias de conscientização, como o Dia Mundial do Cancro da Cabeça e Pescoço, sejam usados para esclarecer a doença. Ao fazer isso, ajudará a melhorar a detecção, o tratamento e os resultados para os pacientes ”, comentou Chris Curtis, presidente da The Swallows.

 

Fonte: Oral Cancer Foundation / pharmafield.co.uk

Autor: Emma Morriss

Artigo original OCF: “Psychological impact of head and neck cancers”

https://onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1002/hed.10174