T E C N O L O G I A

Clickcease usa inteligência artificial e monitoramento de tráfego para bloquear fraudes em publicidade digital. Os golpes correspondem a 20% de acessos em anúncios e foram responsáveis por prejuízos de US$ 35 bilhões em 2018, segundo a Juniper Research.

Para atacar esse problema, a martech israelense Clickcease (www.clickcease.com.br), desenvolveu um produto que identifica e bloqueia tráfego não autêntico no Google Ads e Bing.

De acordo com análises da empresa, até 20% dos cliques em anúncios de texto na internet são falsos, por terem sido feitos por robôs, usuários que não têm interesse real por aquele conteúdo e concorrentes da empresa anunciante.

Para evitar que esse tipo de golpe pese no orçamento da empresa responsável pela propaganda, a Clickcease usa machine learning para estabelecer quais acessos não são espontâneos. Isso significa medir quanto tempo a pessoa se mantém no site depois de acessá-lo a partir de um ad, assim como estabelecer padrões de comportamento que denotam fraudes.

Bloqueio – “A partir daí, temos a capacidade de bloquear esses IPs e fazer uma abertura de reembolso junto ao Google, por exemplo”, diz Michel Primo, da empresa. Ele ressalta, no entanto, que este não é um processo estático: “As pessoas que operam este tipo de golpe estão sempre mudando os canais de acesso, então a defesa precisa ser constante, porque novos IPs serão utilizados”.

Vulnerável – Na avaliação do executivo da Clickcease, o Brasil é um mercado especialmente vulnerável nesse sentido. Isso porque ainda não há no país uma consciência estabelecida sobre o potencial de prejuízo que problemas do tipo podem causar. “No melhor dos casos, notamos que um quinto do orçamento de marketing digital vai para o ralo por conta de fake cliques”, afirma.

Fonte: www.clickcease.com.br.