ESPECIAL – 28/8: Dia de Combate ao Fumo

Nunca é demais repetir e alertar: o tabaco, em todas as suas formas – das mais antigas como o cachimbo, o fumo de corda, o cigarro de palha, as marcas de cigarros que fazem apelo à aventura – com ou sem piteira -, ao apelo sexual, à modernidade do cigarro eletrônico – ele é danoso ao organismo e causa sérios problemas de saúde ao ser humano idoso, adulto, jovem, adolescentes. Mesmo as crianças são vítimas pela inalação da fumaça exalada no ambiente familiar.

As sequelas dos vários hábitos de fumar – para muitos ele é calmante, socialmente elegante, charmoso, ocupa a mão dos inibidos – tem vários graus de gravidade e pode levar, sem exagero, até às doenças fatais.

Neste 28 de agosto, dedicado ao Dia de Combate ao Fumo, não só os profissionais de saúde como cirurgiões-dentistas e médicos nas roda a sociedade deve fazer parte deste esforço por mais saúde à população. Vamos falar dos danos ao organismo, que são muitos e nem todos tratáveis dependendo do tempo do vício de fumar.

Adeus à beleza – veja alguns exemplos:

* Dificulta a cicatrização e aumenta a inflamação da pele

* Envelhece – quem fuma aparenta ter 2 anos a mais, segundo estudo feito na Finlândia, onde os efeitos da exposição solar são baixos

* Pele ressecada pelos compostos tóxicos do cigarro e outras desordens cutâneas como dermatites, psoríase e até câncer de pele, como melanomas e carcinomas.

*O fumo é um dos principais fatores envolvidos no aparecimento de rugas e prejudica a renovação celular (Lucas Portilho, farmacêutico e diretor científico da Consulfarma).