O professor de Medicina Oral e Maxilofacial André Pinto, da Faculdade de Medicina Dentária da Case Western Reserve University, em artigo publicado no British Dental Journal, aponta em novo estudo o efeito da obesidade nos cuidados periodontais não cirúrgicos e avalia os possíveis caminhos que podem ilustrar a conexão entre as duas condições. A relação enfoca o que ambas as doenças têm em comum: a inflamação.

Estudos existentes mostram que o aumento do índice de massa corporal, a circunferência da cintura e a percentagem de gordura corporal estão associados a um risco aumentado de desenvolver periodontite. A conclusão dos pesquisadores é que mudanças na química do corpo afetam o metabolismo, o que, por sua vez, causa inflamação – algo presente nas duas doenças.

“A doença periodontal ocorre em pacientes mais suscetíveis à inflamação e que também são mais suscetíveis à obesidade. Essas informações podem auxiliar os profissionais de saúde a planejar tratamentos para pacientes que sofrem de obesidade e/ou doença gengival, estando cientes complexidade da obesidade para aconselhar seus pacientes sobre a importância do peso corporal adequado e manter uma boa higiene oral”, comentou o professor Andres  Pinto.

Fonte: ScienceDaily/Case Western Reserve University