SAÚDE PÚBLICA

O Ministério da Saúde (MS) habilitou 66 novos serviços de odontologia e de ortopedia para atendimento especializado, e que deverá beneficiar mais de 1 milhão de pessoas com deficiência.

Para qualificar o atendimento a esse público, o ministério também lançou dois guias com orientações para os profissionais de saúde que atuam nas áreas de odontologia e ortopedia da Rede de Cuidados à Saúde da Pessoa com Deficiência (RCPD). Os materiais estão disponíveis na Biblioteca Virtual de Saúde.

O MS informa também que a medida irá capacitar a formação da rede uma vez que a nomenclatura é assimétrica.

Para isso a atenção bucal está partindo para a capacitação, a formação e a sensibilização dessa rede, para fazer uma boa primeira abordagem desses pacientes, com guias apropriadas. As novas estruturas custarão R$ 70,1 milhões por ano ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Do total dos 66 novos serviços, serão 20 Centros Especializados em Reabilitação, que receberão R$ 41 milhões por ano; oito Centros Especializados para Pacientes com Doenças Raras, com custeio de R$ 17,6 milhões por ano; sete Oficinas Ortopédicas, que receberão R$ 4,5 milhões ao ano; e 31 Centros de Especialidades Odontológicas, destes, 14 integrarão a Rede de Cuidados à Saúde da Pessoa com Deficiência e receberão incentivo a mais de R$ 2,2 milhões ao ano.