31/1,  9h00 às 13h00, no 38º CIOSP

INSCREVA-SE AQUI

A  ABCD e a ADI Brasil realizam em 31 de janeiro, durante o CIOSP,  a edição 2020 do Simpósio Odontologia Sustentável, com o objetivo de incentivar a sustentabilidade  no setor. O debate concentra temas relacionados ao desenvolvimento sustentável e tem forte participação do governo federal.  Autoridades acadêmicas, empresariais e governamentais reconhecidas internacionalmente, vinculadas à inovação e à pesquisa científica, contribuíram para sensibilizar, atualizar e articular médicos, gerentes, professores, cientistas, e  empresários para a realização do  VI Simpósio de Odontologia Sustentável, que será  o fórum de debates sobre fundamentos, experiências e tecnologias na área da sustentabilidade que se aplicam à comunidade de saúde bucal e partes sociais interessadas.

Apoiam o evento as entidades CFO, APCD, ABO, CROSP e Abimo. Universidades USP e UFF. E as empresas Metasys, SDI, Ivoclar Vivadente e Curaprox.

OBJETIVOS  DO SIMPÓSIO

O evento tem como objetivo consolidar o Simpósio de Odontologia Sustentável como o principal fórum de sustentabilidade em Odontologia. O evento anual possui ações para sensibilizar, atualizar e articular membros da comunidade de saúde bucal da academia, atendimento clínico, indústria e governo para abordar os problemas e desafios da prática profissional no contexto da SUSTENTABILIDADE.

AGENDA 2030 – A edição 2020 do Simpósio de Odontologia Sustentável traz  2 focos da Agenda 2030 da ONU: 1- Convenção de Minamata sobre Mercúrio – Exigências após a 3ª Conferência das Partes.  2 – Impactos da Declaração Política de Alto Nível da ONU sobre Cobertura Universal de Saúde .

A discussão será realizada com palestras e debate constituídos por líderes de opinião da academia, governo, associações, sociedade civil e indústria sobre importantes questões emergentes das políticas públicas de saúde bucal.

O QUE É ODONTOLOGIA SUSTENTÁVEL ?

A profissão de cirurgião-dentista está sendo desafiada pela crescente demanda por melhores cuidados de saúde bucal, por mais pessoas em mais países do que nunca. Ao mesmo tempo, há obrigação de reduzir as exigências que se coloca sobre os recursos finitos da Terra.

O sucesso de profissionais de odontologia, assim como em outras áreas da sociedade, será julgado por quão bem respondem a estes desafios.

A odontologia sustentável surge para incluir a dimensão da sustentabilidade na vida profissional do cirurgião-dentista, incluindo suas três faces: preservação dos recursos naturais, desenvolvimento econômico e valorização humana.

ODONTOLOGIA E A CONVENÇÃO DE MINAMATA SOBRE MERCÚRIO

O desenvolvimento sustentável em odontologia deu um passo urgente em 2018, após a internalização no quadro jurídico brasileiro da Convenção de Minamata sobre Mercúrio. A nova legislação estabeleceu condições para redução, controle e descarte de mercúrio em processos industriais e artesanais, incluindo a redução do uso de amálgama dental.

O Ministério da Saúde desenvolveu o Plano Setorial para a Implementação da Convenção de Minamata sobre Mercúrio para fornecer uma visão geral da organização do Setor Saúde.

As negociações na COP3 2019 mostraram um crescente debate para mudar o status de “diminuição gradual” do amálgama dental para “retirada”. Também foram levantadas preocupações sobre o gerenciamento de resíduos de amálgama e a eficácia e acessibilidade de materiais alternativos. O Secretariado da Convenção de Minamata solicitará informações a terceiros e às partes sobre disponibilidade, viabilidade técnica e econômica, riscos e benefícios ambientais e à saúde de alternativas livres de mercúrio, ao amálgama dental.

A SAÚDE BUCAL NA DECLARAÇÃO POLÍTICA – COBERTURA UNIVERSAL DE SAÚDE

A 1ª Reunião de Alto Nível da ONU sobre a UHC resultou em uma Declaração Política, negociada pelos Estados Membros, para reafirmar que a saúde é um pré-requisito e um resultado e indicador das dimensões sociais, econômicas e ambientais do desenvolvimento sustentável e implementação da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

A Associação Brasileira de Cirurgiões Dentistas -ABCD foi a única associação odontológica da América Latina, credenciada pela ONU no HLM / UHC. “A ABCD coordenou um movimento nacional com o apoio do Conselho Federal de Odontologia – CFO e da Coordenação Geral de Saúde Bucal, Ministério da Saúde – CGSB / MS para garantir a segurança e acessibilidade dos cuidados de saúde bucal à população brasileira”, destaca Silvio Cecchetto (foto à dir).  A ABCD fez uma declaração ao HLM / UHC solicitando que a Declaração Política da ONU reconheça a importância de integrar a saúde bucal na atenção primária à saúde e foi incluída com sucesso no parágrafo 34 da declaração política.  “Também fortalece os esforços para tratar das condições oculares e de saúde bucal, bem como doenças raras e doenças tropicais negligenciadas, como parte da cobertura universal de saúde”, afirma Claudio Fernandes (foto à esq).

OBJETIVOS

Convenção de Minamata sobre Mercúrio– Status após a 3ª Conferência das Partes

Objetivos Específicos

Discutir a percepção e a perspectiva global dos formadores de políticas públicas de saúde bucal em relação à redução progressiva do uso de amálgama dentária e a proposta de banimento. Uma pesquisa da OMS em 71 países.

Avaliar resultados preliminares do setor público de saúde bucal brasileiro no uso e gerenciamento nacional de amálgama dental

Apresentar os aspectos inter profissionais do “Plano Setorial para a Implementação da Convenção de Minamata”, publicado pelo Ministério da Saúde, para fornecer uma visão geral da organização do setor de saúde no Brasil.

Avaliar o papel da ciência, tecnologia e inovação na sustentabilidade da atenção em saúde bucal. Estudos de caso de separadores de amálgama, conservação de água, materiais restauradores alternativos e letramentos em saúde bucal.

Declaração Política de Alto Nível da ONU sobre Cobertura Universal de Saúde – Objetivos Específicos

*Avaliação crítica da cobertura universal de saúde: desafios e necessidades para integração da saúde bucal junto a saúde geral

*Avaliar a experiência brasileira sobre os benefícios da integração da saúde bucal na atenção primária à saúde

*Avaliar os impactos da declaração política HLM / UHC na expansão do sistema público de saúde bucal brasileiro

*Consolidar a importância de definir a prevenção ao câncer oral como prioridade do ODS 3 na AGENDA 2030 da ONU

*Lançar o livroPrevenção ao Câncer Oral em Português, parceria da ABCD com a EuropeanRegional Organisation–ERO

PROGRAMA

09:00 – 09:15 Cerimônia de abertura com a presença de autoridades dos campos acadêmico, associativo, governamental e industrial

09:20 – 11:30 Palestras

  1. Saúde bucal na Agenda 2030 de Desenvolvimento Sustentável. O papel da Ciência, Tecnologia e Inovação CLAUDIO FERNANDES, Coordenador do Centro de Odontologia Sustentável da UFF Nova Friburgo
  2. Uso e manejo do amálgama dental no setor público de saúde bucal brasileiro – ROGERIA AZEVEDO, Coordenadora Geral de Saúde Bucal, Ministério da Saúde – CGSB / MS, Brasília
  3. Análise do uso de amálgama dentário no Subsistema de Atenção à Saúde Indígena. GABRIEL CÔRTES. Apoiador de Projetos Institucionais de Saúde Indígena. COGASI / MS, Brasília
  4. Implementação da Convenção de Minamata sobre Mercúrio pelo Setor Saúde no Brasil -THAIS CAVENDISH, Coordenadora Geral de Vigilância em Saúde Ambiental, Ministério da Saúde – CGVAM / MS, Brasília
  5. Importância da declaração política HLM / UHC da ONU no sistema de saúde bucal brasileiro – MARIANA DAS NEVES SANT’ANNA, Coordenadora Substituta de Saúde Bucal, Ministério da Saúde – CGSB / MS,Brasília
  6. Prevenção em Câncer Oral como prioridade das metas da Agenda 2030. MARIA CAROLINA BARKI, Professora da Disciplina de Estomatologia da UFF Nova Friburgo

11:35 – 12:20 Debate com representantes dos principais setores em saúde bucal -APCD, ABCD, ABO, CFO, CROSP, ABIMO, ABNT, ABENO, GBMD, GBPD, SBPqO, IAOMT, Hospitais Saudáveis e ANVISA

SERVIÇO

INFORMAÇÕES IMPORTANTES

Local: 38º CIOSP, EXPOCENTER NORTE, São Paulo

Data e horário : 31/01/2020 – 9h00 até 13h00

Audiência: O principal público-alvo são líderes de opinião nas áreas de educação, pesquisa, atendimento clínico, associativo, governo e indústria

Contato:  claudiofernandes@id.uff.br, +55 21 964890604

GRUPO DE TRABALHO – Comitê Organizador:
*Alberto Fernandes Moreira, ADI Brasil * Carolina Emerick, UFF *Claudio Fernandes, ADI Brasil * Liana Bastos Freitas-Fernandes, ADI Brasil  * Mônica Nunes Pelegrini, ABCD * Marcos Capez, CROSP *Mary Skelton, USP * Reinaldo Dias, ADI Brasil *Comunicação ABCD /Editabr