Mais de 300 mil cirurgiões-dentistas ativos no Brasil. Mais da metade é formada por mulheres.  As especialidades Dentística, Implante, Endodontia, Odontopediatria, Patologia Oral, Periodontia e Prótese, juntas, agregam a maior parte delas. E o Brasil continua sendo o país que  concentra o maior número global de profissionais de Odontologia.

A mulher na Odonto ocupa papel de destaque não é de hoje. Essa conquista começou nos bancos universitários, passando pela igualdade de direitos sociais e o aspecto liberal da profissão.

Em todas as frentes – Ela hoje está em todas as frentes de atividades, atendendo no consultório, especializando-se, como ministradora de conhecimento nas universidades ou pesquisadora nos principais centros científicos e tecnológicos no Brasil e no Exterior, em cargos de decisão, em ambientes cirúrgicos e hospitalares, em ações sociais, na política, atuando como empresárias e cargos diretivos em entidades e empresas… além de ser mãe, amiga e companheira.

Há 121 anos …Mas essa conquista tem uma longa história, que começou, no Brasil, em *1899 quando a primeira brasileira recebeu o título de cirurgiã- dentista: Isabella Von Sydon, filha de alemães mas nascida em Cananéia (PR), graduou-se pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro (Santa Casa de Misericórdia), no Centro. Em 1920 Isabela já possuía uma clientela fiel em seu consultório do Largo do Machado, no Rio de Janeiro*.

De lá para os dias atuais, a profissão tornou-se cada vez mais feminina, seja pela possibilidade de agregar a vida profissional à criação dos filhos, seja pela sensibilidade e cuidados inerentes associados ao sexo feminino, mas também pela capacidade. Hoje a humanização da Odontologia adapta-se perfeitamente à Ciência e ao perfil feminino, gerando a cada dia profissionais competentes e pesquisadoras de excelência, um ganho para a Odontologia brasileira.

Parabéns do Jornal Odonto à competência e sensibilidade de  todas as mulheres cirurgiãs-dentistas brasileiras.

*Fonte: Livro 100 Anos da ABO/Editabr Editora.