Indústria de equipamentos médicos e odontológicos se une para enfrentamento do coronavírus, segundo dados da Abimo, que vem acompanhando a movimentação do setor, promovendo soluções para atender a demanda e informando as autoridades sobre iniciativas e soluções apresentadas. O combate à pandemia está mostrando o poder de união da indústria brasileira de equipamentos médicos-hospitalares.

Straumann: A unidade de fabricação de resinas em Pelotas (RS) permite a produção de álcool gel. A Empresa tem estrutura para entrar na produção e para dar suporte ao mercado, com capacidade inicial de cerca de 50 mil litros.

Braile Biomédica – O segmento de equipamentos também está adaptando para atender as demandas. A Braile Biomédica, fabricante de produtos cardiovasculares, biológicos, eletromédicos, endovasculares e oncológicos, está trabalhando no desenvolvimento de um respirador simplificado, direcionado para Unidades de Tratamento Intensivo. A equipe está trabalhando juntamente com médicos intensivistas e todas as áreas da empresa estão envolvidas para atender o mercado de saúde o mais rápido possível. Outro dispositivo que está em desenvolvimento é o ECMO (Oxigenação por Membrana Extracorpórea), que permite a filtragem do sangue. É utilizado para fornecer oxigênio ao coração e aos pulmões de pacientes que apresentam insuficiência em alguns desses órgãos.

Abimo– Franco Pallamolla, presidente da Abimo, afirma que a entidade exerce papel determinante na articulação do setor junto às autoridades, encaminhando estudos, estratégias e indicando a disponibilidade da indústria em atender o setor de maneira eficiente.

Segundo ele, as indústrias estão revendo todo o planejamento de produção, já que se trata de uma demanda muito acima de qualquer conjuntura, para atender de forma adequada as necessidades mais urgentes, principalmente da área de saúde, por dispositivos médicos e equipamentos voltados para o enfrentamento do coronavírus.