O Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) está trabalhando com a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP) para o recebimento de respiradores pulmonares, que estão passando pelo trabalho de manutenção e calibração no Laboratório de Equipamentos Elétricos e Ópticos do Instituto. A estimativa é que cada respirador recuperado possa atender até 10 pessoas.

Recursos – A manutenção e calibração dos equipamentos no IPT foi montada a partir de um investimento de cerca de R$ 50 mil do Fundo Patrimonial Amigos da Poli, associação que visa captar doações e aplicar os recursos em projetos da Poli-USP. Segundo o pesquisador Antonio Francisco Gentil Ferreira Júnior, os recursos permitiram ao laboratório se especializar para receber os equipamentos, fundamentais para a manutenção do funcionamento do sistema de saúde brasileiro.

“A manutenção dos respiradores é uma questão nacional, mas também regional. Nós vemos pela mídia que alguns estados, como Amazonas e Ceará, já estão esgotando sua capacidade máxima de leitos”, explicou o pesquisador. “A manutenção e calibração desses aparelhos, bem como sua devolução e distribuição permitem o abastecimento das unidades, tanto para o bom funcionamento dos leitos já existentes, a transformação de leitos comuns em leitos adequados com instrumentação e até mesmo a criação de unidades de tratamento intensivo em hospitais de campanha”.

A parceria entre o IPT e a Poli-USP faz parte da Iniciativa + Manutenção do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), que criou uma rede voluntária com mais de 35 pontos para manutenção dos equipamento, incluindo montadoras. Os parceiros da iniciativa ajudam que esses equipamentos sejam transferidos, consertados, calibrados, e então devolvidos aos hospitais de origem.

Saiba mais aqui!