A professora titular do Departamento de Dentística, Endodontia e Materiais Dentários e ex-diretora da Faculdade de Odontologia de Bauru – USP, Maria Fidela de Lima Navarro, recebeu o Prêmio Ryge-Mahler, do Dental Materials Group (DMG), da International Association for Dental Research (IADR).

Este prêmio é concedido para reconhecer cientistas que, ao longo de suas carreiras, deram excelentes contribuições à pesquisa clínica em materiais dentários. Foi estabelecido em reconhecimento às contribuições passadas à ciência e à pesquisa de Materiais Dentários por dois destacados cientistas do DMG: dr. Gunnar Ryge e dr. David Mahler.

A professora Fidela, que foi presidente da IADR, informa que o DMG é o maior e mais antigo grupo da entidade e os critérios para a concessão do prêmio são de que a pessoa indicada e quem indica também sejam membros desse grupo. Assim, essa é uma premiação para a qual os candidatos não se inscrevem, são indicados por outros. “Um dos pesquisadores que me indicaram, foi o professor Stephen C. Bayne, professor Emérito da Universidade de Michigan. Ele me enviou a cópia da carta na qual ele destacou minhas qualidades que justificariam ser selecionada para esse prêmio tão importante”, explica. Leia trechos com o teor da carta no final da matéria.

O professor Bayne e sua esposa, Sharon Grayden, estiveram na FOB-USP algumas vezes e puderam observar in loco as atividades da escola. Eles recentemente se aposentaram, deixando um legado significativo de seu desempenho acadêmico. Bayne foi presidente do DMG, presidente da Academia de Materiais Dentários, presidente da Associação Americana de Pesquisa Odontológica (AADR), presidente da IADR e recebedor de vários Prêmios de Excelência em Ensino em diferentes instituições americanas. Também recebeu o Prêmio Ryge-Mahler do DMG, da IADR e o Prêmio de Destacado Cientista da IADR (Wilmer Souder Award).

“Eu preciso dizer que fiquei muito contente com essa premiação porque ela distingue não apenas a minha pessoa, mas a querida Faculdade de Odontologia de Bauru. Eu também tenho contatado os colegas e ex-alunos que contribuíram com os vários estudos clínicos para agradecer a participação deles nesses trabalhos e tenho recebido várias manifestações de carinho e apreço de colegas de diferentes partes do Brasil e do exterior. Espero que esse prêmio seja uma inspiração para os jovens talentos de nossa querida FOB!”, diz a homenageada.

CURRÍCULO – Maria Fidela de Lima Navarro é professora sênior da FOB-USP, pesquisadora sênior do CNPq, ex-presidente do Grupo Brasileiro de Professores de Dentística, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica, ex-diretora da FOB-USP, ex-secretária Geral da USP e ex-presidente da IADR, International Association for Dental Research, entre outras atividades.

IADR – Trecho da Carta do professor Stephen C. Bayne, professor Emérito da Universidade de Michigan, à IADR:

“É difícil fazer justiça total à carreira de Maria Fidela por causa de seu escopo, amplitude de impacto e riqueza de estilos. Ela sempre foi uma estrela dos estudantes de odontologia, do corpo docente, dos estudantes de pós-graduação e de outros componentes da Universidade de São Paulo no Brasil. Durante seu mandato como diretora da Faculdade de Odontologia de Bauru, ela foi uma defensora inflexível da pesquisa clínica e participante-chave na disseminação da ideia do que acabaria por se tornar o primeiro novo edifício do Centro de Pesquisa Clínica da FOB.

Antes disso, os professores e seus alunos de Odontologia desenvolviam suas atividades nas clínicas do campus, mundialmente famoso por seus cuidados clínicos. Eu visitei pessoalmente essa instalação e fiquei incrivelmente impressionado com a ampla gama de atividades odontológicas, projetos clínicos e coordenação com pesquisadores de pesquisa básica e de pesquisa clínica. A dedicação de Maria Fidela ao avanço da pesquisa e, principalmente, da pesquisa clínica, ocorreu em um grande número de níveis e sempre com grande sucesso. Durante minhas viagens ao Brasil, os colegas de materiais dentários com os quais me encontrei aplaudiram continuamente suas contribuições para elevar o nível e a qualidade da pesquisa no Brasil. Ela é uma cientista tenaz para novas ideias e novas abordagens ao atendimento clínico. Sua pesquisa incluiu aspectos laboratoriais e clínicos, mas ela sempre procurou vigorosamente colocar em prática ensaios clínicos sobre os procedimentos mais avançados na pesquisa de materiais dentários. Durante toda a minha vida, ela tem sido uma pessoa de pesquisa para eu admirar e imitar. Seu estilo é suave e sua energia é contagiosa.

A qualidade de suas atividades de pesquisa clínica é estelar. Ela faz perguntas importantes de pesquisa, organiza estudos clínicos de base, encontra suporte para recalls de longo prazo, inspira a dedicação das equipes de pesquisa clínica e relata cuidadosamente tudo nas publicações de referência. Seu registro de 225 artigos publicados, muitos dos quais são clínicos, é uma prova desse sucesso. Ela investigou selantes, ionômeros de vidro, novas abordagens de odontologia operatória, uma ampla gama de técnicas e materiais restauradores, sistemas de adesão, respostas biológicas a materiais dentários, restaurações CAD / CAM, procedimentos ART, procedimentos restauradores endodônticos, novos cimentos, compósitos condensáveis, longevidade de materiais, técnicas de presa ultrassônica, sistemas de presa por LED, métodos de diagnóstico de cárie, prevenção de cárie e assim por diante.

Seu impacto criou toda uma nova geração de cientistas brasileiros de pesquisa clínica, com paixão, interesse e dedicação semelhantes. Atualmente, os projetos de pesquisa clínica para materiais dentários no Brasil são mais prevalentes do que nos Estados Unidos…”

Premiação – A premiação consta de uma placa e uma importância no valor de 2 mil dólares. Eles seriam entregues à agraciada em Washington, DC, USA, durante o Congresso comemorativo do centenário da IADR, que seria realizado de 18 a 21 de março de 2020, mas foi cancelado por conta da Covid-19. Tanto a placa quanto a importância em dinheiro serão enviados à professora, aqui no Brasil.