Campanha vai distribuir US$ 100 mil em refeições veganas para profissionais de saúde e grupos sociais em situação de vulnerabilidade.

A organização internacional, conhecida por desafiar o papa e o presidente dos Estados Unidos a tornarem-se veganos por cerca de um mês em troca de uma doação de um milhão de dólares para instituições de caridade, lança nesta semana uma nova campanha que deve distribuir mais de 117 mil refeições veganas, em todo o mundo. A ação teve início em vários países no último sábado (02) e os trabalhos no Brasil começam nesta terça-feira (5.5). O objetivo é contribuir para o bem-estar das pessoas e mostrar como prevenir futuras pandemias: adotar uma dieta vegana.

Já foram entregues kits de alimentos a instituições de caridade, a veteranos de guerra em Los Angeles, a famílias vulneráveis no Leste de Londres, a pacientes em tratamento contra o Covid-19 de hospital em Turim, Itália, a pessoas sem teto em Paris, em Madri, Buenos Aires, México,Nova Déli, Etiópia,  Pune, na Índia, e agora no Brasil (em 5.5.20). totalizando 117,5  mil refeições a pessoas afetadas pela pandemia em todo o mundo.

Parcerias – No Brasil, o trabalho se estende durante este mês de maio e será feito em conjunto com o Instituto Luisa Mell e a Green Kitchen, que irá preparar as refeições a preço de custo para atender diferentes comunidades na cidade de São Paulo. Serão pelo menos 3 mil refeições distribuídas com o apoio de quatro organizações: Solidariedade Vegan, a Base Colaborativa, Projeto Arrastão e Projeto Novos Sonhos.

CDC: 75% de doenças infecciosas são de origem animal – Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em inglês), cerca de 75% das doenças infecciosas emergentes são de origem animal. Muitos especialistas acreditam que doenças como a tuberculose, a coqueluche, a febre tifoide, a hanseníase e o vírus do resfriado tenham surgido a partir da domesticação de animais para consumo humano.

Campanha global contra pandemias – Para conscientizar a população, a organização lançou uma campanha global chamada ‘Tire as pandemias do cardápio’. O objetivo é alertar sobre os riscos provocados pelo consumo de produtos de origem animal. Cerca de 75% das doenças infecciosas surgidas no mundo vieram de animais, segundo órgãos especializados. A ação é uma resposta ao impacto mundial devastador da pandemia de coronavírus, contando com o apoio e orientação de importantes especialistas na área da saúde, além de ativistas pelos direitos dos animais.

Risco maior – O consumo de produtos de origem animal está ligado a um risco maior de doenças cardíacas, derrame, pressão alta, obesidade, diabetes tipo 2 e alguns tipos de câncer (todas as carnes processadas – incluindo bacon, presunto, embutidos, linguiça e salsicha – são reconhecidas como cancerígenas pela Organização Mundial de Saúde.