Especialistas destacam a importância de preservar o ecossistema para reduzir as chances de contato com males ainda desconhecidos, como novo coronavírus que já matou mais de 16 mil pessoas no Brasil e, apesar de vacinas para sua cura ainda estarem em fases iniciais de testes, ecologistas defendem que vírus como estes podem ser evitados, se a população tiver mais conscientização ambiental.

Para o fundador e presidente da ONG SaveCerrado, Paulo Bellonia (foto), quando o homem destrói uma floresta para abrir terras, constrói barragens ou elimina a biodiversidade de forma desenfreada, acaba desencadeando problemas que podem afetá-lo diretamente. “Agora, estamos entrando mais em contato com patógenos de animais silvestres quando alteramos seu habitat, em um contexto pior para nós: a densidade populacional dos seres humanos é muito mais alta, e estamos muito mais conectados, o que favorece o espalhamento da doença.”, completa Bellonia.

As mudanças climáticas, causadas pelo desmatamento humano, também exercem seu papel no surgimento de novas doenças, segundo cientistas. “Há outras maneiras pelas quais nossas atividades humanas podem facilitar o surgimento ou transmissão de doenças, como o desmatamento, isso não pode ser ignorado”, alerta o fundador da SaveCerrado.

Como contribuir com a preservação? – Agora que todas as nações estão sofrendo os impactos causados por um único vírus, o ambientalista acredita que muitas pessoas estão abrindo suas mentes e enxergando além de sua própria rotina nas cidades. “Defender o equilíbrio do ecossistema é preservar a saúde e o bem-estar humano. Tudo está inserido dentro de um importante ciclo”, alerta. Por isso, fundou a SaveCerrado, uma ONG que atua exclusivamente no Cerrado, bioma com uma das maiores riquezas de biodiversidade do planeta.
Hotspot – “Nossas ações estão relacionadas com áreas específicas e de altíssima relevância de preservação para a sociedade brasileira e mundial, tanto pela abundância das águas quanto pelo fato de se tratar de um hotspot, tudo com total transparência de onde exatamente os recursos estão sendo aplicados”, informa. Hotspots são áreas com grande biodiversidade, ricas principalmente em espécies endêmicas, e que apresentam alto grau de ameaça. Elas se concentram em apenas 2,3% da superfície do planeta e detém cerca de 60% de patrimônio biológico do mundo.
Durante a pandemia, a SaveCerrado iniciou uma campanha que vai destinar parte dos recursos captados às entidades e projetos que estejam atuando no combate aos impactos sociais da doença.