Enquanto o mundo se reúne em uma sessão virtual sem precedentes da 75ª Assembleia Geral da ONU (AGNU), desde 15 de setembro, a OMS tem três mensagens para compartilhar.

A primeira é sobre o acesso equitativo às ferramentas COVID-19. Na AGNU, a OMS apelará aos líderes mundiais para apoiar o Acesso às Ferramentas COVID-19 (ACT) – Acelerador, uma colaboração internacional única para acelerar o desenvolvimento, produção e acesso equitativo aos testes, tratamentos e vacinas COVID-19 globalmente , ao mesmo tempo em que fortalece os sistemas de saúde.

Combinando investimentos globalmente, o ACT-Accelerator oferece uma chance para todos os países acessarem um maior número de ferramentas mais rapidamente, compartilhando riscos e custos.

O ACT-Accelerator precisa de US $ 35 bilhões para acelerar o desenvolvimento, aquisição e distribuição de 2 bilhões de doses de vacina, 245 milhões de tratamentos e 500 milhões de testes no próximo ano.

O investimento necessário em uma solução global voltada para o acesso equitativo empalidece em comparação aos impactos econômicos do COVID-19 e os pacotes de estímulo doméstico projetados para manter as economias à tona.

O acesso equitativo permite que todos os países alcancem a recuperação total apoiando todos os setores econômicos, protegendo a cadeia de valor global e assegurando o crescimento global a longo prazo.

A segunda mensagem é sobre como manter o ímpeto para alcançar as metas de desenvolvimento sustentável. A pandemia corre o risco de desvendar décadas de ganhos obtidos em saúde e desenvolvimento.

De acordo com uma pesquisa recente da OMS, 90% dos países estão enfrentando interrupções nos serviços essenciais de saúde devido à pandemia. As áreas afetadas com mais frequência relatadas incluem imunização de rotina, diagnóstico e tratamento de doenças não transmissíveis, planejamento familiar e contracepção, tratamento para transtornos mentais e diagnóstico e tratamento de câncer.

O COVID-19 oferece um lembrete claro do motivo pelo qual precisamos investir em sistemas de saúde e dados mais fortes, com base na atenção primária à saúde, para alcançar a cobertura universal de saúde e cumprir as metas relacionadas à saúde dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

O Plano de Ação Global para Vidas Saudáveis ​​e Bem-estar para Todos (GAP) trabalha para acelerar o progresso do país nas metas relacionadas à saúde dos ODS, com o apoio de 12 agências multilaterais engajadas na saúde, desenvolvimento e resposta humanitária. Esta semana, aprenderemos sobre o progresso feito no estabelecimento das bases para uma década de entrega e ação.

Finalmente, devemos nos preparar para a próxima pandemia juntos, agora. O COVID-19 nos mostrou que o mundo estava terrivelmente despreparado – apesar dos muitos sinais de alerta e avisos.

Um ano atrás, na UNGA, o Conselho de Monitoramento de Preparação Global (GPMB) alertou sobre a ameaça de uma pandemia, conclamando os líderes globais a tomarem  medidas urgentes e unidas para se preparar.

No início desta semana, o GPMB publicou seu relatório 2020 “Mundo em desordem”. O relatório analisa um mundo desorientado pela COVID-19, sofrendo de falta de liderança e de ação oportuna. Exige um compromisso renovado com o multilateralismo e com a OMS.

Na AGNU, a OMS apelará a todos os cidadãos e líderes para apoiar as cinco ações delineadas no relatório GPMB 2020: liderança responsável; cidadania engajada; sistemas fortes e ágeis para segurança sanitária; investimento sustentado e governança global robusta de preparação.

Nossas ações hoje definirão nosso futuro coletivo.