A convite do Ministério da Saúde, o Conselho Federal de Odontologia (CFO) contribuiu, neste mês, em sua sede, com a elaboração do Guia de Orientações para Atenção Odontológica no Contexto da COVID-19.

O documento foi apresentado pela coordenadora-geral de Saúde Bucal, cirurgiã-dentista Caroline Martins, para nortear a readequação do atendimento odontológico na atenção primária e especializada da rede pública de saúde.

Segundo a coordenadora, o documento considerou o cenário epidemiológico de maior, menor e risco intermediário. Além dos protocolos de atendimento – pré-atendimento clínico remoto, acolhimento presencial e tratamento sistematizado do usuário na unidade de saúde. O Guia classifica também o atendimento essencial (pré-natal odontológico e atendimento a usuários com doenças crônicas), bem como o atendimento ampliado, que abrange a assistência eletiva das pessoas sob responsabilidade das equipes e ações de promoção e prevenção.

As informações foram elaboradas com base na Teleodontologia, regulamentada pelo CFO por meio da Resolução 226/2020, como recurso de cuidado à saúde bucal.  “O Ministério da Saúde já vinha reorientando o atendimento odontológico por meio de notas técnicas, agora a ideia é disponibilizar parâmetros atualizados diante do cenário atual, com caráter mais dinâmico e com maior diligência aos critérios de biossegurança na Odontologia”, esclareceu.

O presidente do CFO, Juliano do Vale, evidenciou o importante momento de articulação unificada entre CFO e Ministério da Saúde. “Reconhecer o papel do CFO nesse processo de construção desse documento é um grande avanço para toda a categoria. O CFO está à disposição para ajudar em cada nova etapa de produção e distribuição do Guia de Orientações para Atenção Odontológica no Contexto da COVID-19, o que inclui também o apoio integral dos Conselhos Regionais de Odontologia nos estados”, ressaltou.

A partir da contribuição do CFO, o documento segue no Ministério da Saúde para diagramação e ajustes finais para publicação em formato online e com acesso público. A expectativa, segundo a coordenadora-Geral de Saúde Bucal, o Guia estará disponível para acesso até o início de novembro. O monitoramento do uso diário das novas diretrizes será realizado pelo Ministério da Saúde por meio do sistema unificado com os gestores municipais e estaduais.

Fonte: Ascom CFO, Michelle Calazans