FDI World Dental Federation (FDI) lança novo White Paper sobre resistência a antibióticos para marcar a Semana Mundial da Conscientização Antimicrobiana

Uma das consequências não intencionais do combate e prevenção ao COVID-19 na Inglaterra no início deste ano, foi  um aumento de 25 por cento na prescrição de antibióticos por dentistas, segundo novo estudo publicado hoje no British Dental Journal (https://www.nature.com/articles/s41415-020-2336-6) (BDJ).

A resistência aos antibióticos (ABR) é um problema global que representa um ameaça significativa à saúde e à administração da saúde, devido a doenças prolongadas, estadias mais longas no hospital e aumento da mortalidade. A Organização Mundial da Saúde (OMS) destacou a urgência de combater a ABR  incluindo-a nas cinco plataformas para saúde e bem-estar globais.

ABR é um problema que afeta a todos e precisa ser resolvido com urgência

Se ABR continuar a aumentar, estima-se que as infecções resistentes  a drogas será, globalmente,  a número um na causa de morte nos próximos 30 anos.

A Semana Mundial de Conscientização Antimicrobiana anual da OMS (https: //www.who.int / campaign / world-antimicrobial-awareness-week / 2020) é realizada a partir de 18 a 24 de novembro.

Os antibióticos não curam a dor de dente

A maioria das infecções dentárias são passível de tratamento por procedimento odontológico para remover a fonte da infecção sem a necessidade de antibióticos. Em tempos normais, planos de tratamento apenas com antibióticos raramente são apropriados.  O uso desnecessário de antibióticos impulsiona o desenvolvimento e a disseminação de infecções.

“Os antibióticos são drogas que salvam vidas; quando as pessoas realmente precisam deles, eles realmente precisam ser usados”, disse a Dra. Wendy Thompson, autora do BDJ estudo, acadêmico clínico em atendimento odontológico primário na Universidade de Manchester e membro do Grupo de Trabalho FDI ABR.

“As infecções que são resistentes aos antibióticos representam um sério risco para segurança do paciente, razão pela qual o grande aumento na prescrição de antibióticos dentais (mais de 25 por cento nos três meses de abril a junho) é uma grande preocupação. Após anos de tendência de queda, o acesso restrito ao atendimento odontológico devido ao COVID-19 impulsionou esse aumento repentino. Nós devemos evitar  que isso aconteça novamente quando o Reino Unido se encontrar em outro ambiente de bloqueio.

“Vivemos em tempos especialmente desafiadores. Pacientes à espera de acesso para cuidar, muitas vezes recebem mais antibióticos do que os pacientes que recebem o tratamento certo imediatamente. Quando a  prestação de cuidados dentários retornar  a um ‘novo normal’ na era COVID-19, é importante garantir o acesso a atendimento odontológico urgente e de alta qualidade e otimizar o uso de antibióticos. ”

‘Pandemia de câmera lenta’

Reconhecendo a urgência da situação, a FDI divulgou hoje seu White Paper (https://fdiworlddental.org/abr-whitepaper),  o papel essencial da equipe odontológica na redução da resistência aos antibióticos, que é apoiado por uma biblioteca online de recursos e acompanhada por um curso online aberto massivo (MOOC). O White Paper é um importante passo à frente no reconhecimento de que dentistas em todo o mundo devem  ser reconhecidos por sua atuação na prevenção e tratamento de infecções dentárias e com poderes para otimizar sua prescrição de antibióticos.

“Estamos diante de uma pandemia em câmera lenta e coletiva e é urgente a necessária ação para desacelerar “, disse o Dr. Gerhard K. Seeberger, presidente da FDI.

“No futuro, a profissão odontológica tem uma responsabilidade clara de envolver-se, comprometer-se e contribuir para os esforços globais, nacionais e locais para combater a resistência aos antibióticos. ”

Mais informações:

Federação Dentária Internacional – FDI

https://fdiworlddental.org/abr-whitepaper