Pesquisas sugerem que um grande número de pacientes com Covid-19 apresentam sintomas na cavidade oral que ainda não são reconhecidos como sinais típicos da doença. A orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) relaciona os três sintomas mais comuns da Covid-19 como sendo a febre, a tosse seca e o cansaço. A cavidade oral está envolvida em alguns dos sintomas adicionais que a agência de saúde pública aconselha a observar – como a perda do paladar ou do olfato – mas atualmente não menciona outras manifestações orais.

Uma em cada cinco pessoas com Covid ainda apresenta sintomas menos comuns que não aparecem na lista oficial [Saúde Pública da Inglaterra], como erupções cutâneas. Está sendo observado também que um número crescente de exemplos de língua Covid e outras úlceras bucais estranhas.  A orientação continua sendo: “Se tiver algum sintoma estranho ou mesmo apenas dor de cabeça e cansaço fique em casa”.

Em janeiro, o feed do Twitter de Spector apresentou inúmeras imagens de suspeita de língua COVID enviadas pelo público. Em 27 de janeiro, compartilhou uma imagem da língua de um homem de 32 anos com efeitos COVID-19 de longa duração. A língua exibia macroglossia e saliências nas bordas, e o Spector observou que os especialistas não conseguiram determinar a causa. Pelo menos 20 sintomas de COVID-19 não são comumente considerados.  35% das pessoas apresentam sintomas não clássicos nos primeiros três dias, quando estão com maior infecção.