Problemas respiratórios, doenças digestivas e até dores na coluna, tudo isso pode estar relacionado ao mau alinhamento da dentição. Felizmente a grande maioria das disfunções ortodônticas pode ser solucionada com aparelhos dentários, que atualmente contam com modelos mais confortáveis, bonitos e que trazem resultados em bem menos tempo.

Além de ser o “cartão de visitas” natural, os dentes são uma importante engrenagem do organismo humano, e como tal, se não estiver funcionando adequadamente irá acarretar numa série de problemas para a saúde do corpo como todo. A edição mais recente da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal, feita em 2010 pelo Ministério da Saúde, aponta que ao menos 35% da população brasileira precisa de tratamento ortodôntico, para corrigir alguma disfunção. O estudo é feito a cada dez anos.

“Além da questão estética, precisamos dos dentes bem relacionados e alinhados, porque as duas arcadas trabalham em conjunto e foram criadas para ter um boa interação entre si. Os dentes possuem desenhos anatômicos diferentes propositalmente, para que exista uma engrenagem perfeita entre a maxila inferior e a superior”, explica o cirurgião-dentista e sócio da Venko Inteligência Odontológica, Brunno Braga Leite. E tudo isso é de extrema para informação do paciente.

Problemas além da estética – – Ele pode desconhecer que problemas respiratórios, má dicção, doenças digestivas e até dores na coluna podem estar relacionados com o mau alinhamento da dentição. Mas felizmente, a grande maioria dos problemas ortodônticos pode ser solucionada com os aparelhos ortodônticos. Mas aí vem à mente de muita gente a incômoda situação em ter que usar aqueles desagradáveis e incômodos “ferrinhos” nos dentes. “Os aparelhos fixos convencionais, de fato, têm essa dificuldade em relação ao momento da higienização, principalmente no uso do fio dental. Esteticamente também não agradam a muita gente, sem falar na necessidade de se ter uma manutenção mais frequente e uma demora bem maior para se obter os resultados desejados”, afirma o cirurgião-dentista Brunno Leite.

Fim dos desconfortos – Carla Tockenbach, sócia de Bruno, explica que hoje existem muitos aparelhos modernos que eliminam a grande maioria desses desconfortos para quem precisa fazer um tratamento ortodôntico. Um dos mais modernos no mercado é o Invisalign ou alinhadores transparentes, que são, segundo ela, muito mais confortáveis e discretos do que os tradicionais aparelhos fixos.

“O alinhador transparente, ou Invisaling é uma tecnologia que traz os resultados desejados em muito menos tempo, um terço do tratamento ortodôntico convencional. A estética também é bem mais agradável, já que quase não aparenta que o paciente esteja usando o aparelho. A pessoa também pode tirar para as refeições e as higienizações, então você, por exemplo, não vai ter aquele desconforto típico ao usar o fio dental com os aparelhos fixos convencionais, explica.

Tecnologia – Ainda segundo a especialista, os tratamentos ortodônticos modernos têm hoje um suporte tecnológico muito grande para que as intervenções sejam as mais precisas possíveis, se adequando a cada caso. “Tudo é feito digitalmente. Hoje, por exemplo, ao invés do uso de uma modelagem convencional com gesso para montar o aparelho do paciente, é feito o escaneamento de toda e estrutura dental. E esse arquivo digital de modelagem é feito de forma muito mais rápida, e pelo mesmo sistema também já fazemos o protocolo de fotos. Tudo isso com muito mais rapidez e conforto para o paciente”, revela Carla.

“Dentes encavalados” – Segundo Brunno Leite, os apinhamentos dentários, popularmente conhecidos como “dentes encavalados” são a maior causa de procura ao consultório. Essa falta de espaço faz com que os dentes cresçam tortos e isso leva a um acúmulo maior de placa bacteriana, gerando uma série de problemas não só nos dentes, mas no periodonto circundante (gengiva e osso), como gengivite e em casos mais severos, a periodontite (infecção grave da gengiva).

Outros problemas que podem ser solucionados são a mordida aberta, os diastemas, que são falhas ou espaços entre os dentes ocasionados pela falta de dentes ou espaçamento exagerado; e ainda mordida profunda ou sobremordida que é uma maloclusão caracterizada pela sobreposição excessiva dos incisivos superiores sobre os inferiores.

Fonte: Médicos sem Fronteiras