A Olsen de Palhoça, produtora de equipamentos odontológicos, médicos e até veterinários, vai investir até R$ 60 milhões nos próximos dois anos considerando a ativação de uma nova fábrica e a modernização do parque fabril. O fundador e presidente Cesar Olsen justifica o investimento: “Acredito no País e no crescimento dos negócios, mesmo como todos os efeitos colaterais da pandemia e do atual momento econômico brasileiro mundial. As chamadas crises são momentos que geram pressões por mudanças e elas sempre passam, mas gerando oportunidades”.

Nos últimos dois anos a empresa investiu cerca de R$ 20 milhões na modernização de maquinaria para a área de produção e inclusive numa nova aeronave para atendimento de demandas por todo o país. Estas modernizações completaram o ciclo da primeira geração da empresa ainda na unidade fabril atual, que tem uma área construída de 8.5mil m2.

A nova postura da empresa se baseia no desempenho alcançado nos últimos dois anos. “Nunca crescemos tanto como durante a Pandemia, a produção e as vendas duplicaram e operamos agora com a capacidade de produção no limite, com cerca de 900 equipamentos/mês. A meta com a nova fábrica é chegar a 1.500 equipos/mês”, releva o empresário.

 A justificativa para este aquecimento do mercado, principalmente no Brasil, se deve, segundo Olsen, a uma combinação de fatores, de um lado o ganho de mercado proporcionado por equipamentos de maior qualidade da empresa catarinense, gerando um diferencial decisivo para a preferência pela marca Olsen; isso combinado com o fechamento de atividades de dois fabricantes no Brasil.

A estrutura comercial cresceu no mesmo embalo da produção. A Olsen utiliza estrutura própria de vendas através de 13 filiais no formato showroons nas principais capitais com projeção de fechar em 14 filais até o fim do ano. O plano de expansão já prevê até outros seis novos showrooms, mas esta etapa precisa esperar pelo aumento da capacidade de produção, a qual vai acontecer com a nova fábrica.

Cesar Olsen destaca:

– Somos atualmente a empresa-líder de mercado com o melhor desempenha econômico entre os fabricantes brasileiros, o que nos coloca na vanguarda da atividade industrial odontomédica pela ousada gestão dos recursos e a capacidade de produção que se consolida no modelo extremamente verticalizado, síntese do porquê das filiais comerciais da indústria em todo o país.

A nova unidade fabril da Olsen será construída em área de 25 mil metros quadrados junto ao Distrito Industrial de Palhoça, dos quais, 15 mil metros em área construída, um projeto idealizado no conceito de indústria 4.0.

Hoje o portfólio da Olsen contempla prioritariamente o segmento odontológico, com 80% da demanda, 10% são da linha médica; e os outros 10% entre itens para segurança e equipamentos veterinários.

– Atualmente, exportamos 15% da produção, mas com valor agregado. Nosso plano, até o final do ano que vem, é exportar de 30% a 35% do total fabricado. Já estamos bem posicionados em mercados como o México e a Rússia. Estamos trabalhando para entrar na Alemanha e exportar mais aos Estados Unidos – explica Cesar Olsen.

Aos 43 anos de atividades, a Olsen permanece com o seu fundador Cesar Olsen no comando, mas já incorpora a próxima geração nos negócios através de sucessão familiar planejada. Elisa e Augusto, filhos, já atuam na administração da empresa e vão aos poucos assumindo novas responsabilidades neste novo ciclo de expansão da empresa.

– A visão estratégica e comercial no planejamento das novas instalações da fábrica está a cargo da geração “2” da empresa, que estará alinhada com os novos tempos da atividade industrial e a moderna odontologia – afirma Olsen.