Ano XIX nº 222 -
 
 

Artigo - Maria Lucia Zarvos Varellis

Edição 222 - 05/04/2016

 

Dia 7 de Abril

Saúde única e a prática interprofissional colaborativa:
Mais motivos para
celebrar o dia mundial da saúde!

 

“Cultivar estados mentais positivos como a generosidade e a compaixão decididamente conduz à melhor saúde mental e à felicidade.” Dalai Lama 

 “Será que estamos no caminho certo para promover saúde de forma integral?”

Em 1948 a Assembleia Mundial da Saúde criou o Dia Mundial da Saúde, com o objetivo de conscientizar a população sobre a importância da qualidade de vida e dos diferentes fatores que podem afetar a mesma.  O dia 7 de Abril foi escolhido por ser o dia em que foi fundada a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Todos os anos várias atividades são propostas nesta data pelas diversas áreas da saúde, para que as pessoas entrem em contato com conceitos modificadores de hábitos arraigados, bem como, para elucidar sobre a seriedade do autocuidado e dos seus direitos quando o assunto é promoção e acesso à saúde.

 “A saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade”. Esta foi a definição aprovada pela OMS em 1946, um conceito que visava ampliar a visão do mundo a respeito do que seria estar saudável.

Durante algumas décadas esta foi a maneira como saúde era definida, porém, desde 2006, a OMS estabeleceu a necessidade de cooperação entre as Medicinas Veterinária e Humana, no sentido de ambas elaborarem em conjunto pesquisas no campo da epidemiologia, bem como de trabalharem novas ferramentas para diagnóstico e vigilância das doenças que acometem os seres vivos de modo geral.

Profa. Maria Lucia
Zarvos Varellis

A profa. Maria Lucia Zarvos Varellis é cirurgiã-dentista (USP) e especialista em Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais. Foi membro da Comissão Nacional de Residência Multiprofissional em Saúde do Ministério da Saúde (2010 – 2011) e consultora da Organização Pan-Americana de Saúde (2010 – 2011). É autora do livro Odontologia para Pacientes com Necessidades Manual Prático - Editora Santos, colaboradora do Protocolo de Especialidades em Saúde Bucal do Ministério da Saúde para Atenção Básica, 2008, coordenadora do Fórum dos Conselhos Fim Saúde do Estado de São Paulo, membro do Grupo de Trabalho Interprofissional da Saúde - Secretaria de Estado da Saúde desde 2014 e presidente da Comissão de Registros de Técnicos de Saúde Bucal e Auxiliares de Saúde Bucal do Conselho Federal de Odontologia.

 

Em outubro de 2008 a OMS, a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e a Organização Internacional de Epizootias (OIE) elaboraram o documento “A guide to establish colaboration between animal and human health at a country sector level”, um manual de implantação da colaboração entre autoridades governamentais e não governamentais responsáveis pela saúde animal e humana. Neste manual encontra-se o conceito “Um Mundo - Uma Só Saúde”.

De acordo com a perspectiva da Saúde Única existem quatro áreas que influenciam a situação sanitária em um determinado território: o ambiente, as questões sociais, o aspecto econômico e os comportamentos. Daí a necessidade de cooperação entre profissões visando à melhoria da saúde humana, animal e do meio ambiente.

A Saúde Única compreende a abordagem sistêmica e interdisciplinar da atenção à saúde em todos os seus aspectos, considerando a interação de todos os fatores que interferem direta ou indiretamente na qualidade de vida. Sua prática requer a integração das atividades e saberes das diversas categorias profissionais pertencentes à lista das profissões com atividade fim saúde, para que o olhar seja ampliado na promoção da saúde como um todo.

O conceito de Saúde Única nos leva à reflexão sobre a importância da introdução da prática interprofissional colaborativa nos serviços de saúde, prática esta que prevê a integração, articulação e colaboração entre as áreas. É um conceito também da OMS que vem sendo discutido desde 1980, mas que ainda não foi adotado na rotina de todos os serviços.

É inegável que o modelo atual de promoção de saúde está colocado em xeque, principalmente porque nos últimos 10 anos houve uma mudança do perfil populacional, com aumento da expectativa de vida, aumento das doenças crônicas, fazendo com que cada um dos envolvidos no processo repense na forma que vem desempenhado seu papel como profissional da saúde e no fato de que o conceito de interprofissionalidade é um dos componentes da mudança.

O trabalho em equipe e a prática interprofissional colaborativa devem ter um impacto positivo para o sistema de saúde, para as equipes de saúde e para os usuários. Nele as equipes devem propor ações conjuntas e discussões de caso, obtendo assim maior resolutividade.

E então, neste Dia 7 de abril, vamos começar a programar as mudanças necessárias para melhorar a qualidade dos serviços prestados e a prática profissional?

Saúde pra você!

 

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia também da autora (clique no título)

Inclusão da pessoa com necessidades especiais:
VOCÊ TEM FEITO A SUA PARTE?

 

 

3º Setor | Anuncie | Arquivo JSO | Bastidores | Estatística | Expediente | Legislação | Fale com o JSO | Mural/Cartas | Utilidade Pública

Copyright @ 1999 Edita Comunicação Integrada. Todos os direitos reservados.
Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização por escrito.
Melhor visualização 1024x768pixels