Ano X nº 146 -

Últimas Notícias

Artigos/Crônicas

Bastidores

Cash

Corpo&Cuca

Editorial

Empresas

Lazer&Cia

Mural/Cartas

Na Rede

Pesquisa&Tecnologia

Profissão

Saúde

Saúde Bucal

3º Setor

Utilidade Pública

SERVIÇOS

Anuncie

Expediente

Fale com o JSO

Arquivo JSO

Legislação

Estatística

LINKS ÚTEIS

Agenda grátis

Clima/Tempo

Concursos

Cotações/Moedas

Horóscopo

Portal da Câmara

Portal do Consumidor

Viagens


Fast food: não faça dela um hábito

Uma refeição como essa pode ter, em média, 935 calorias. O problema está no tipo de obesidade que ela pode causar.

Não tem jeito. Na hora que bate aquela fome fora de hora ou na correria do dia a dia para muitas pessoas uma das opções de alimentação é a fast food. As opções saudáveis e equilibradas são deixadas de lado e acaba-se optando por uma comida mais rápida e menos saudável, cheia de calorias. Segundo os nutricionistas, uma refeição de fast-food completa, em suas porções padronizadas com lanche, fritas e refrigerante, contém em média 935 calorias.

Um lanche completo contribui para o aparecimento das gordurinhas e pode prejudicar a sua saúde. “A principal doença é a obesidade, uma vez que são alimentos muito calóricos e que causam saciedade muito rápida. Após umas duas horas as pessoas estão novamente com fome e isso propicia o consumo de muito mais calorias do que poderíamos ingerir. Além disso, como são ricos em gordura saturada e hidrogenada, a maioria desses lanches, consumidos com frequência, pode causar elevação do colesterol e triglicérides e queda do colesterol bom, o HDL colesterol, responsável pela proteção cardiovascular”, disse Ellen Simone Paiva, endocrinologista do Centro Integrado de Terapia Nutricional, em entrevista ao site Vírgula.

O problema maior está no tipo de obesidade que esse tipo de alimento pode causar. Como é um alimento pouco nutritivo, ele provoca um tipo de obesidade que pode cursar como desnutrição. “Isso mesmo! Obesidade, na maioria das vezes, não significa saúde por se tratar de gordura e triglicérides acumulado. Não tem nada a ver com saúde e o alimento padrão, que pode exemplificar a associação de obesidade e desnutrição é mesmo a fast-food.”, explicou a nutricionista.

Ellen Simone afirmou que consumir fast-food esporadicamente não prejudica a saúde. “Por serem alimentos carregados em sal e gordura, as pessoas, em particular as crianças e os adolescentes, passam a achar os outros alimentos muito sem graça. Arroz com feijão, frutas e verduras, passam a ser rejeitados por eles. Logo, quando o fast-food é um alimento esporádico, quando faz parte de um passeio sem compor a alimentação do dia a dia, ele não terá interferência na saúde da família”.

Ela ainda faz um alerta para as crianças: “O consumo de fast-food desde muito cedo na vida dessas crianças traz um prejuízo a longo prazo em suas vidas, uma vez que elas não chegam a ter um vínculo com o alimento saudável. São seduzidas pelo forte sabor do sal em excesso, da fritura, da gordura altamente palatável e passam a recusar alimentos de sabor naturalmente mais suave. Dessa forma elas não têm chance de alcançar um padrão alimentar saudável”.


Tabela de calorias:

- Hambúrguer sem queijo = cerca de 400 calorias
- Cheese-Burguer = mais de 500 calorias
- Uma porção de batata frita média ou 100g = 320 calorias
- Um copo médio de refrigerante (500 ml) = 215 calorias

Fonte: Vírgula

 

 

Veja mais notícias em CORPO&CUCA

 

Ed 146 - 07/10/2009


Copyright © 1999 Edita Comunicação.Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado,
transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização por escrito