Ano X nº 146 -

Últimas Notícias

Artigos/Crônicas

Bastidores

Cash

Corpo&Cuca

Editorial

Empresas

Lazer&Cia

Mural/Cartas

Na Rede

Pesquisa&Tecnologia

Profissão

Saúde

Saúde Bucal

3º Setor

Utilidade Pública

SERVIÇOS

Anuncie

Expediente

Fale com o JSO

Arquivo JSO

Legislação

Estatística

LINKS ÚTEIS

Agenda grátis

Clima/Tempo

Concursos

Cotações/Moedas

Horóscopo

Portal da Câmara

Portal do Consumidor

Viagens


Smartphones: tecnologia no bolso

Cada vez mais úteis e utilizados, os smartphones podem substituir os notebooks em algumas áreas. Conheça um pouco mais sobre o aparelho e suas vantagens

Eles já estão em todo lugar e, para muitos, tornaram-se indispensáveis. São os smartphones, telefones celulares inteligentes. Por meio deles, é possível acessar a internet, criar e visualizar diferentes tipos de arquivos, enviar e receber e-mails, tirar fotos, fazer vídeos, armazenar e ouvir músicas, além de ter acesso a diversas outras funcionalidades – para alguns, substituindo até os notebooks. Ao comprar um smartphone é preciso estar atento a algumas características: dá para adequar tanto à sua necessidade quanto ao seu bolso.

Público – Os smartphones têm como público-alvo os usuários que precisam ter as funcionalidades de um computador sempre à mão, mesmo quando estão na rua. Mas isso tem um custo: para ter acesso à Web é necessário ter disponível uma rede sem fio, ou contratar um plano de dados oferecido pela operadora móvel. 

Características físicas – As telas desses aparelhos são geralmente maiores que as dos telefones celulares tradicionais. Os comandos podem ser dados de duas formas: pela tela sensível ao toque ou pelo teclado. Cabe ao usuário saber qual a alternativa mais confortável. A capacidade de armazenamento pode ser disponibilizada pelo próprio aparelho (8 GB, 16 GB, 32 GB, por exemplo), ou através de cartões de memória, vendidos separadamente.

Funcionalidades – Os smartphones geralmente oferecem acesso à internet (e todas as vantagens aí incluídas, como e-mails, mapas, redes sociais, notícias e sites de vídeos), câmera digital, câmera de vídeo e tocador digital, entre outras funcionalidades. Essa lista ganha ainda mais força com o uso de programas chamados aplicativos: pagos ou gratuitos, eles permitem, por exemplo, que o usuário visualize as melhores opções de rotas de trânsito, receba notícias de seus sites favoritos, veja qual a programação da TV e as próximas sessões do cinema mais perto. Tudo na tela do celular. 

Preços – O valor pago pelo smartphone não se restringe ao preço do aparelho. Pelo fato de o produto oferecer acesso à internet, o consumidor deve pensar também no plano contratado na operadora de telefonia móvel: quanto mais barato o eletrônico, mais caro tende a ser o plano. E vice-versa. Também é possível comprar smartphones desbloqueados, sem qualquer vínculo com operadoras (nesse caso, é possível fazer um plano pré-pago). No entanto, muitos dizem que um celular inteligente sem plano de dados para acesso à internet é como uma Ferrari sem gasolina: usa-se muito pouco de sua grande capacidade. 

Planos – Um plano de telefonia móvel para celulares inteligentes geralmente contém ligações de voz, torpedos e plano de dados. Na hora de fazer a contratação, o usuário deve ter em mente quanto de cada serviço vai usar para não pagar por aquilo que não vai usar (ou pagar valores extras por exceder o limite de seu plano).

Talvez a parte mais difícil dessa contratação seja o plano de dados. Se o usuário tem acesso à tecnologia de conexão sem fio em sua casa e escritório, não precisará do plano de dados quando estiver nesses dois ambientes. Nesse caso, uma opção ilimitada (e mais cara) pode não ser vantajosa. O mesmo não acontece para quem passa muito tempo na rua, precisa ter acesso constante a seus e-mails e não tem internet sem fio no ambiente doméstico. 

Com informações do G1       

 

Veja mais notícias de NA REDE

 

Ed146_07/10/2009



 


Copyright © 1999 Edita Comunicação.Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado,
transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização por escrito