Ano X nº 140  -

Últimas Notícias

Artigos/Crônicas

Bastidores

Cash

Corpo&Cuca

Editorial

Empresas

Lazer&Cia

Mural/Cartas

Na Rede

Pesquisa&Tecnologia

Profissão

Saúde

Saúde Bucal

3º Setor

Utilidade Pública

SERVIÇOS

Anuncie

Expediente

Fale com o JSO

Arquivo JSO

Legislação

Estatística

LINKS ÚTEIS

Agenda grátis

Clima/Tempo

Concursos

Cotações/Moedas

Horóscopo

Portal da Câmara

Portal do Consumidor

Viagens


Estudo alerta para os danos do consumo de isotônicos para os dentes

O consumo excessivo de bebidas esportivas, os isotônicos, pode ser bastante prejudicial aos dentes, segundo o estudo “The potential for acid damage on dentin from sports drinks”, apresentado na última reunião anual da Associação Internacional de Pesquisa em Odontologia (IADR, na sigla em inglês), que aconteceu em Miami (EUA) no início de abril.

Ao realizar o trabalho, pesquisadores da Universidade de Nova York verificaram que, apesar dos benefícios oferecidos pelas bebidas esportivas - que contêm carboidratos, sódio, potássio e outros componentes que fazem com que sejam rapidamente absorvidos e promovam uma rápida reidratação após a atividade física prolongada ou intensa -, as bebidas esportivas, principalmente quando consumidas por período prolongado, podem promover erosão dentária.

De acordo com o professor e presidente do Conselho da Faculdade de Odontologia da Universidade de Nova York e principal autor da pesquisa, Mark Wolff, o estudo relacionou diretamente o ácido cítrico presente nas bebidas com o processo. A pesquisa utilizou dentes de boi cortados ao meio e, enquanto metade deles foi imersa em água, a outra parte foi inserida em isotônicos.

Segundo Wolff, os dentes foram imersos nas bebidas por 90 minutos para simular os efeitos de bebericar tais líquidos de tempos em tempos durante um dia inteiro. Ao observar as duas metades em microscópio e realizar análises químicas, os pesquisadores observaram um significativo aumento no amolecimento e na erosão destes dentes. O problema pode ser ainda maior se a escovação for feita imediatamente após o consumo dos isotônicos, pois com o esmalte amolecido os dentes estariam mais suscetíveis à abrasão.

Os pesquisadores recomendam, portanto, o consumo moderado destas bebidas e que as pessoas que as consomem com mais frequência consultem o cirurgião-dentista para saber se precisam usar creme dental que neutralize a acidez e ajude a reendurecer o esmalte.

 

Ed.140-08/04/2009


Copyright © 1999 Edita Comunicação.Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado,
transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização por escrito