Ano X nº 146  -

Últimas Notícias

Artigos/Crônicas

Bastidores

Cash

Corpo&Cuca

Editorial

Empresas

Lazer&Cia

Mural/Cartas

Na Rede

Pesquisa&Tecnologia

Profissão

Saúde

Saúde Bucal

3º Setor

Utilidade Pública

SERVIÇOS

Anuncie

Expediente

Fale com o JSO

Arquivo JSO

Legislação

Estatística

LINKS ÚTEIS

Agenda grátis

Clima/Tempo

Concursos

Cotações/Moedas

Horóscopo

Portal da Câmara

Portal do Consumidor

Viagens


 

Cientistas testam vacina que
bloqueia efeito da cocaína

 

Cientistas americanos da Escola de Medicina da Universidade de Yale e da Escola de Medicina Baylor comemoraram os resultados do teste de uma vacina que ajuda a tratar viciados em cocaína. Em testes, foi descoberto que a vacina conseguiu impedir que 38% de um grupo de voluntários viciados obtivessem o famoso “barato” desencadeado pela droga.

A vacina, que vem sendo desenvolvida há 15 anos, estimula o sistema imunológico a produzir anticorpos anticocaína, que impedem que a droga deixe a corrente sanguínea, bloqueando seu efeito no cérebro. Depois de neutralizada, a droga tem suas moléculas quebradas no fígado por uma enzima e é expelida do corpo.

Anticorpos – O estudo, publicado na revista Archives of General Psychiatry, durou 24 semanas e analisou 115 pacientes dependentes de cocaína. Destes, 58 receberam cinco injeções cada durante três meses. Os outros receberam injeções de placebo. Nem os pacientes nem os pesquisadores sabiam quem estava recebendo qual injeção.

Testes de urina realizados entre as semanas nove e 16 da pesquisa mostraram que 45% do grupo que tomou a vacina parou de consumir cocaína, contra 35% dos que tomaram o placebo. Dos 55 participantes que completaram o estudo, 38% apresentaram níveis de anticorpos suficientes para combater a dependência da droga. Muitos deles pararam ou reduziram seu consumo.

Segundo os pesquisadores, o efeito da vacina depende do nível de anticorpos produzidos. Aqueles com altos níveis tiveram mais probabilidade de ficar longe da cocaína. De acordo com os pesquisadores, esse é um remédio para prevenir recaídas, e uma série de injeções seria necessária para acabar com o vício, já que os anticorpos permanecem no sangue por um curto período de tempo.

 

Fonte: Terra

 

Veja mais notícias de PESQUISA&TECNOLOGIA

 

Ed.146-07/10/2009


Copyright © 1999 Edita Comunicação.Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado,
transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização por escrito