Ano X nº 146  -

Últimas Notícias

Artigos/Crônicas

Bastidores

Cash

Corpo&Cuca

Editorial

Empresas

Lazer&Cia

Mural/Cartas

Na Rede

Pesquisa&Tecnologia

Profissão

Saúde

Saúde Bucal

3º Setor

Utilidade Pública

SERVIÇOS

Anuncie

Expediente

Fale com o JSO

Arquivo JSO

Legislação

Estatística

LINKS ÚTEIS

Agenda grátis

Clima/Tempo

Concursos

Cotações/Moedas

Horóscopo

Portal da Câmara

Portal do Consumidor

Viagens


MS vai traçar perfil da
saúde bucal dos paraibanos

A partir de novembro, 16 equipes de cirurgiões dentistas da atenção básica em saúde, entram em campo para avaliar a saúde bucal dos moradores de João Pessoa, Sousa e Alagoinha. Os três municípios foram sorteados pelo Ministério da Saúde (MS) para fazer parte da Pesquisa Nacional de Saúde Bucal – Projeto SB Brasil 2010, que vai permitir um diagnóstico atual da saúde bucal dos brasileiros. Pelos resultados das avaliações feitas nos três municípios paraibanos, o MS vai poder traçar o perfil epidemiológico da saúde bucal no Estado.

Pesquisa 2003 - A última pesquisa, divulgada em 2003, revelou que 70% das crianças com 12 anos de idade, de João Pessoa, tinham uma média de três dentes afetados por cáries, que precisaram ser obturados ou extraídos. Entre os 15 e 19 anos, essa média sobe para oito. As pessoas entre 35 e 44 anos, possuíam uma média de 22 dentes afetados, e na faixa etária de 65 a 74 anos, praticamente todos os dentes – 28 – tinham sofrido alguma intervenção em decorrência de cáries.

Nordeste tem situação pior - O estudo também mostrou que a saúde bucal da população da região Nordeste, aos 12 anos de idade, era a pior, com uma média de quase quatro dentes afetados por cáries, em 70% das crianças examinadas. No Brasil, o índice de CPOD , que significa o somatório de dentes cariados, perdidos e obturados, foi de 2.7, ficando um pouco abaixo do índice recomendando pelo Organização Mundial de Saúde (OMS), que é de 3.0.

Pesquisa 2010 - A próxima pesquisa, que será divulgada em junho do próximo ano, vai mostrar os números por região e por estado. O estudo será feito por meio de exames clínicos e entrevistas, que serão realizados nos domicílios dos pacientes. Em todo o País, serão examinadas 50 mil pessoas nas 27 capitais e em mais 150 municípios. Por meio do estudo serão verificadas as mudanças no perfil epidemiológico da população, ao longo dos últimos nove anos, quando foi realizado último estudo, além de servir para o planejamento de ações para melhorar a saúde bucal da população. Serão investigadas a prevalência e gravidade de vários problemas bucais – como a cárie dentária em coroa e raiz e o traumatismo dentário – bem como descobrir a condição periodontal e de fluorose dentária.

Outros municípios - Independente da pesquisa do MS, qualquer município paraibano que se interessar em fazer um estudo  sobre a saúde bucal de sua população, pode entrar em contato com a UFPB, que dará a orientação de como coletar os dados.

 

Veja mais notícias de PESQUISA&TECNOLOGIA

 

 

Ed.146-07/10/2009


Copyright © 1999 Edita Comunicação.Todos os direitos reservados. Este material não pode ser publicado,
transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização por escrito