Cadastre seu e-mail

 
Ano X nº 152 -

Agenda grátis

Clima/Tempo

Concursos

Cotações/Moedas

Horóscopo

Portal da Câmara

Portal do Consumidor

Viagens

Saúde

Edição 152 - 10/04/2010

 

Aterosclerose: cuidado máximo para evitar o pior

As manifestações mais comuns da aterosclerose aparecem principalmente na população com idade entre 45 e 50 anos e devem ser enfrentadas e tratadas com cuidado máximo. A doença aterosclerótica culmina com um evento cardiovascular dramático e muitas vezes fatal, como infarto do miocárdio ou acidente vascular cerebral.

Segundo o dr. José César Briganti, vice-presidente da Regional São Carlos da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, mudanças no estilo de vida e medicações são aliados poderosos no combate à evolução da doença. A aterosclerose origina-se a partir de um processo inflamatório na parede de um vaso, onde é dada a largada para a instalação da doença, que progride naturalmente ao longo dos anos.

O começo de tudo pode estar relacionado a fatores mutáveis ou imutáveis. Os primeiros são aqueles relacionados com o tipo de vida da pessoa, como tabagismo, sedentarismo, estresse emocional e obesidade, dentre outros. Além disso, a hipertensão arterial sistêmica não tratada, desníveis de colesterol e diabetes mellitus não controlado compõem o quadro mais agudo da aterosclerose. Esses fatores mutáveis podem cair bastante com a participação de médico e paciente, o que previne a evolução e o desfecho negativos da aterosclerose.

Muitas pessoas, no entanto, nascem com propensão maior a desenvolver essa doença bem antes dos 40 ou 50 anos – isso por conta de algumas dificuldades orgânicas específicas, como um alto nível da taxa de colesterol. No caso dos fatores imutáveis, há, inclusive, a questão da herança genética. Nesses casos, os homens apresentam o problema mais cedo, pouco antes ou lá pelos 50, enquanto nas mulheres a doença pode se manifestar depois dos 60 anos. E o pior é que a evolução da aterosclerose, nessas situações, aumenta com a passagem do tempo. Mas tem saída. O dr. José César Briganti recomenda hábitos de vida saudáveis, abandono definitivo do tabagismo, alimentação rica em frutas, verduras, legumes e pobre em gorduras saturadas e sal, controle do peso, prática regular de exercícios físicos, redução do estresse, uso moderado de bebidas alcoólicas e visitas regulares ao médico para controle da pressão arterial, diabetes e colesterol. Preventivamente, deve-se consultar um cardiologista lá pelos 21 anos de idade, para uma avaliação geral da saúde cardíaca. Outro detalhe importante, que pode fazer toda a diferença: no caso de suspeita iminente, quando alguém se imagina tendo um infarto do miocárdio, busque socorro médico imediato, porque tempo nessa situação vale a vida, completa Briganti.

 

 

 

VEJA MAIS SOBRE SAÚDE

 

3º Setor | Anuncie | Arquivo JSO | Bastidores | Estatística | Expediente | Legislação | Fale com o JSO | Mural/Cartas | Utilidade Pública

Copyright @ 1999 Edita Comunicação Integrada. Todos os direitos reservados.
Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização por escrito.
Melhor visualização 1024x768pixels